FANDOM


Marcelo Pereira Surcin, mais conhecido como Marcelinho Carioca, (Rio de Janeiro, 1 de fevereiro de 1971) é um jogador brasileiro de futebol.

Considerado um exímio cobrador de faltas e pênaltis, foi o ídolo maior da torcida corintiana (foram oito anos e dez títulos pelo clube: um Mundial da Fifa, dois títulos brasileiros, uma Copa do Brasil, quatro paulistas, uma Copa Bandeirantes e um Troféu Ramón de Carranza), sendo o principal jogador do time do Parque São Jorge na conquista da maioria dos títulos.

Começou sua carreira em outubro de 86. Ainda com 14 anos, o jogador que na época atuava no Madureira, foi descoberto por olheiros e levado ao Flamengo. Lá o jogador teve uma ascensão meteórica. Após dois anos na Gávea, quando ainda jogava no juvenil, foi visto por Telê Santana, então técnico do profissional, que o chamou para o time de cima. A estréia de Marcelinho com a camisa rubro-negra ocorreu no dia 30/11/88, quando, num clássico contra o Fluminense, o jovem atacante de 16 anos substituiu Zico, o maior ídolo da torcida, que se machucara aos 11 minutos de jogo. Em dezembro de 93, a diretoria flamenguista decidiu negociar o jovem atleta com o Corinthians.

Logo que chegou ao Parque São Jorge, Marcelinho Carioca mostrou a que veio. No dia de sua apresentação, o atacante de 21 anos previu: "Quero marcar minha passagem aqui. Vim para o Corinthians para ser campeão!". A identificação com a torcida foi imediata. E uma carreira vitoriosa estava começando.

Após diversos títulos, aproveitando do sucesso do craque, em 1997 ele foi vendido para o Valencia, da Espanha, por US$ 7 milhões. Como não se adaptou e amargou a reserva, Marcelinho só quis uma coisa: voltar ao Brasil. Ao saber da vontade do jogador, Eduardo José Farah, presidente da Federação Paulista de Futebol na época, comprou o passe do jogador junto ao Valencia. Depois, Farah criou o "Disque Marcelinho", para o qual, ao custo de três reais por telefonema, os torcedores dos quatro maiores clubes do estado deveriam ligar e escolher o futuro do jogador. Após 11 dias da promoção, a imensa maioria corintiana trazia Marcelinho de volta ao clube. Foram 62,5% das ligações para o Corinthians, 20,3% para o São Paulo, 9,5% para o Santos e 7,7% para o Palmeiras. Assim, ele voltou ao Timão.

De 1997 até 2000, Marcelinho foi o ídolo maior de um time rechado de estrelas, responsável pela mais vitoriosa temporada do Corinthians.

Depois de uma briga em 2001 com Ricardinho, deixa o clube novamente e somente em fevereiro de 2006, após defender diversos clubes, inclusive estrangeiros, rescinde seu atual contrato com o Brasiliense, e volta ao Corinthians, onde é ídolo.


Títulos ConquistadosEditar

Madureira

  • 1986 - Campeão Taça Rio (amador)


Flamengo

  • 1987 - Campeão Carioca (Amador)
  • 1988 - Bicampeão Carioca (Amador)
  • 1989 - Campeão carioca de juniores
  • 1989 - Campeão da Taça São Paulo de Juniores
  • 1989 - Torneio de Toronto do Canadá (Profissional)
  • 1990 - Campeão da Copa do Brasil
  • 1991 - Campeão da Taça Rio
  • 1992 - Campeão Brasileiro
  • 1993 - Vice-campeão Super-Copa


Corinthians

  • 1994 - 3º Colocado no Campeonato paulista
  • 1994 - Campeão da Copa Bandeirantes (assegurou vaga à Copa do Brasil)
  • 1995 - Campeão Paulista
  • 1995 - Campeão da Copa do Brasil
  • 1996 - Campeão Troféu Ramón de Carranza na Espanha
  • 1996 - 3º Colocado no Campeonato paulista
  • 1997 - Campeão Paulista
  • 1998 - Campeão Brasileiro
  • 1998 - Vice-campeão paulista
  • 1999 - Campeão Paulista
  • 1999 - Bicampeão Brasileiro
  • 2000 - Campeão Mundial Interclubes - FIFA
  • 2001 - Campeão Paulista


Gamba Osaka(Japão)

  • 2002 – Vice-Campeão - J. League – Japão


Vasco da Gama

  • 2003 – Campeão Carioca


Ligações ExternasEditar


Smallwikipedialogo.png This page uses content from Wikipedia. As with Corinthians Wikia, the text of Wikipedia is available under the GNU Free Documentation License.