FANDOM


Bem-vindo(a) à Corinthians Wiki!

Uma enciclopédia livre e gratuita, feita por pessoas como você sobre o CORINTHIANS! O seu conteúdo pode ser modificado e distribuído livremente! Este Wiki em 26 de maio de 2006 e atualmente possuímos 33 artigos. Baseamos nosso trabalho em informação aberta e na Wikipedia. A idéia é criarmos juntos todos os corinthianos uma grande fonte de informação sobre o Timão. E precisamos da sua ajuda!

quinta-feira, 19 de outubro de 2017
15h23min (UTC)

33 artigos
O que é um wiki?
FAQ



Corinthians
Corinthians-logo1
Nome
completo
Sport Club
Corinthians Paulista
Apelido Timão, Coringão
Fundação 1° de setembro de 1910
Endereço Rua São Jorge, 777
São Paulo, SP
Estádio Alfredo Schürig
Capacidade 18 mil espectadores
Torcedores 25 milhões
Presidente Andres Sanchez
Treinador Mano Menezes
Patrocinador Batavo
Material Esportivo Nike
Divisão 2009 Série A
2008 Série B, Campeão.

O Sport Club Corinthians Paulista é um dos clubes desportivos mais importantes do Brasil. A agremiação foi fundada por quatro operários no dia 1 de setembro de 1910. Fundado como time de futebol, o clube se desenvolveu e passou a competir em outras modalidades também, das quais se destacam o remo, o basquete, e a natação.

Segundo pesquisa do Ibope divulgada pelo jornal Lance! o Corinthians tem a segunda maior quantidade de torcedores do país o que, em números atuais, significa que são aproximadamente 25 milhões de torcedores espalhados por todo território nacional. Sua torcida é conhecida como "Fiel", porque durante os 22 anos (de 1955 a 1976) em que a equipe não ganhou nenhum título importante, seu número aumentou ao invés de diminuir.

Em janeiro de 2000 sagrou-se campeão do primeiro Mundial de Clubes organizado pela FIFA. E é o atual campeão do Campeonato Brasileiro de Futebol, o Brasileirão.

De acordo com pesquisa realizada pela agência publicitária Y&R e publicada [1] pelo jornal Gazeta Mercantil, o Corinthians possui a marca de futebol mais estimada do país.

Curiosidades sobre o time não faltam.

História

Fundação

Em 1910 o futebol no Brasil era um esporte elitizado. Os clubes que dominavam a cena profissional eram todos burgueses, como o Paulistano, o São Paulo Athletic (não confundir com o São Paulo FC), o AA das Palmeiras (que não tem relação com a atual SE Palmeiras) o São Bento, o Internacional e o Americano. Essa elitização não impedia os operários de jogar. Estes, porém, só jogavam em times de várzea, formados pelos próprios.

Os operários de um desses clubes - o Botafogo - costumavam a realizar confusões após suas derrotas. Em uma destas brigas, a polícia decidiu fechar o time, deixando-os orfãos de seu clube de futebol.

Por coincidência, passava por São Paulo para fazer amistosos o time Corinthians Football Club (Inglaterra), que jogou seu primeiro jogo na capital paulista no dia 31 de agosto, contra o AA das Palmeiras, vencendo por 5 a 0. O clube já havia jogado outros três jogos, todos no Rio de Janeiro, vencendo todos.

No dia 1 de setembro de 1910, os operário órfãos do Botafogo, Joaquim Ambrósio, Antônio Pereira, Rafael Perrone, Anselmo Correia e João da Silva esperavam o bonde para voltar para casa, na antiga rua dos Imigrantes (atual rua José Paulino, no centro de São Paulo), quando, sob a luz de um poste de iluminação a gás, resolveram fundar um clube. Nascia o Sport Club Corinthians Paulista.

O clube só receberia este nome nas reuniões que se seguiram a data oficial de fundação, realizadas no salão do barbeiro Miguel Bataglia, futuro presidente do Corinthians. Foi Joaquim Ambrósio que sugeriu o nome que, em votação, ganhou das outras sugestões: Santos Dumont e Carlos Gomes.

O Corinthians jogou em seus primeiros anos com uma camisa creme com os punhos pretos, semelhante a do Corinthians inglês. O creme foi substituido pelo branco pois o creme desbotava muito com as lavagens.

1910 - 1954

Três anos após a sua fundação (em 1913) o Corinthians entra na Liga Paulista de Futebol, após uma cisão entre esta e a Associação Paulista de Esportes Atléticos (que foi criada pelos times que saíram da Liga Paulista). Assim ficaram apenas três clubes na Liga Paulista, conhecidos como 'os três mosqueteiros', o que deu origem ao mascote do time.

Em 1914, com apenas quatro anos de fundação, o Corinthians conquistava o seu primeiro triunfo, vencendo o Campeonato Paulista de forma invicta. A equipe corintiana era formada por: Sebastião, Fúlvio, Casimiro II, Police, Bianco, César, Américo, Peres, Amílcar, Aparício e Neco. Voltaria a vencer o torneio estadual em 1916, e conquistaria seu primeiro título internacional em 1919, o Campeonato Sul Americano.

Dessa forma, o Corinthians já integrava a elite do futebol brasileiro, que era praticado quase que exclusivamente nas capitais do estado de São Paulo e do Rio de Janeiro. Assim, ao vencer o América, do Rio de Janeiro, em 1922, numa partida promovida para que os campeões estaduais daquele ano se enfrentassem, o Corinthians despontava como um dos melhores time do país (não havia ainda um campeonato a nível nacional) no ano do Centenário da Independência.

Dois anos (1924) depois viria o primeiro tricampeonato da equipe no Campeonato Paulista, que ocorreria no final mesma década e início da seguinte, com os títulos de 1928, 1929 e 1930. Aliás, o Corinthians parecia fadado aos tricampeonatos, já que após ficar seis anos sem título, voltou a vencer de 1937 a 1939.

A arquibancada

Corinthianos na arquibancada

A década de 40 foi de tempos difíceis. O clube venceria um título em 1941 e depois só voltaria a vencer em 1951. Foi uma época onde o time corintiano era conhecido como 'faz-me rir'. Venceria também os títulos de 1952 e 1954.

Na década de 50, o Corinthians foi campeão três vezes do Torneio Rio-São Paulo (1950, 1953 e 1954) que passara a ser o torneio de maior importância no país, pois contava com a participação dos grandes clubes dos dois estados que mais despontavam no futebol.

Em 1953, num torneio realizado na Venezuela, o Corinthians venceu a Pequena Taça do Mundo, torneio que para muitos é considerado um precursor do Campeonato Mundial de Clubes. Na ocasião, o Corinthians, substituindo o Vasco da Gama, foi a Caracas, capital venezuelana e conquistou seis vitórias consecutivas, contra as equipes da Roma (1 a 0 e 3 a 1), Barcelona (3 a 2 e 1 a 0) e Seleção de Caracas (2 a 1 e 2 a 0). Conquistaria também a Taça do IV Centenário de São Paulo, no mesmo ano de 1954.

Mas após os títulos do Campeonato Paulista e do Torneio Rio-São Paulo de 1954, o Corinthians viveria um grande jejum de títulos.

1955 - 1977

Um único torneio dentro do país, em 22 anos, o Rio-São Paulo de 1966. Esse foi o balanço corintiano entre 1955 e 1977. Mesmo sem vencer títulos, a torcida corintiana continuava aumentando. O que ajudou na popularização do apelido 'Fiel Torcida'. Nesse período o Corinthians passou onze anos sem ganhar do Santos de Pelé em campeonatos paulistas, um dos tabus mais famosos do Brasil.

Fora do Brasil, o Corinthians conseguia vencer alguns títulos de torneios internacionais, como o Torneio de Torino (1966 e 1969), o Torneio Costa do Sol (1969) e o Torneio Internacional de New York (1969).

Em 1971, o Brasil conhecia o seu primeiro campeonato nacional, o Campeonato Brasileiro. O Corinthians fazia boas campanhas no nacional e chegou ao vice campeonato em 1976, ano da Invasão Corintiana ao Maracanã, no Rio de Janeiro. Os corintianos lotaram o Maracanã, na semifinal do Campeonato Brasileiro, chegando a dividir a lotação do estádio com o time da casa, o Fluminense. E os corintianos saíram vitoriosos nas cobranças de pênaltis. Pela primeira vez na história do futebol brasileiro, a torcida visitante ficou em maior número no estádio do mandante.

Mas as glórias voltariam no ano de 1977, no dia 13 de outubro, o Corinthians voltou a ser Campeão Paulista, após vencer a Ponte Preta por 1X0 no terceiro jogo da final, no Morumbi. Basílio, autor do gol do título corintiano, até hoje é considerado um dos maiores heróis do clube. Assim acabou a angústia e a grande espera de uma torcida que nunca desistiu e de um clube que sempre lutou.

1978 - 1990

Após quebrar o jejum de títulos, o Corinthians voltaria a vencer o Paulistão em 1979, 1982, 1983 e 1988.

O primeiro título nacional veio em 1990. A equipe se classificou para as quartas-de-final do Brasileirão com dificuldades, mas na reta final o time venceu por 2 a 1 (em casa) e empatou de 0 a 0 (fora) seus jogos contra o Atlético Mineiro. Nas semifinais o clube fez os mesmos placares nos jogos contra o Esporte Clube Bahia, e chegou na final para enfrentar o rival São Paulo.

O time corintiano, comandado pelo meia Neto, venceu a primeira partida por 1 a 0 com gol de Wilson Mano, e foi para o segundo jogo com a vantagem do empate. E aos nove minutos do segundo tempo veio o gol do título, marcado por Tupãzinho. O time corintiano na final foi: Ronaldo; Giba, Marcelo, Guinei e Jacenir; Márcio, Wilson Mano, Tupãzinho e Neto (Ezequiel); Fabinho e Mauro(Paulo Sérgio). Técnico: Nelsinho Baptista.

1991 - 2004

A década de 90 começava com título e se tornaria a mais vitoriosa da história da equipe. Após o título brasileiro de 1990, o Corinthians venceu o Campeonato Paulista em 1995, 1997, 1999, 2001 e 2003. Além disso o clube conquistaria em 1995, o primeiro título na Copa do Brasil, competição que envolve times de todos os estados brasileiros e é disputado em sistema de mata-mata e considerado o caminho mais curto para chegar à Libertadores da América, pois a outra maneira é sagrando-se campeão ou vice do Campeonato Brasileiro. A equipe conquistou ainda dois campeonatos brasileiros consecutivos (1998 e 1999). Nas duas oportunidades o Corinthians terminou a fase de classificação como o time de melhor campanha e foi ganhando de seus adversários até se sagrar campeão.

Em 1998, decidiu contra o Cruzeiro. Após dois empates (2 a 2 em Belo Horizonte, e 1 a 1 em São Paulo), o Corinthians venceu a equipe mineira por 2 a 0 no Morumbi com gols de Edílson e Marcelinho Carioca, conquistando seu segundo título nacional. O time vencedor foi formado por Nei, Índio, Batata (Cris), Gamarra e Silvinho; Vampeta, Rincón, Ricardinho (Amaral) e Marcelinho Carioca; Edílson e Mirandinha (Dinei). Técnico: Wanderley Luxemburgo.

No ano seguinte, com a base do time vencedor do Campeonato Brasileiro no ano anterior, o Corinthians conseguiu o seu terceiro título nacional. A final novamente foi contra um time mineiro, dessa vez o Atlético.

Perdendo a primeira partida por 3 a 2, em Belo Horizonte, e vencendo a segunda por 2 a 0, em São Paulo, o Corinthians decidia mais uma vez em casa, e com a vantagem do empate para ser campeão. E com um 0 a 0 debaixo de muita chuva, veio o tricampeonato.

A equipe que jogou na final era formada por Dida, Índio, João Carlos, Márcio Costa e Kléber; Vampeta (Marcos Senna), Rincón, Gilmar (Edu) e Ricardinho; Marcelinho Carioca (Dinei) e Edílson. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

O Título Brasileiro de 1999, fez o Corinthians ser o representante do país sede no Mundial de Clubes da FIFA de 2000, do qual se sagrou campeão em 14 de janeiro de 2000 ao vencer o Vasco nos pênaltis por 4 a 3, depois de um empate de zero a zero no tempo normal. O time foi notícia no mundo todo, por conquistar o primeiro Mundial de Clubes organizado pela entidade máxima do futebol, sendo venerado até hoje.

O time que jogou a final do Mundial era formado por: Dida, Índio, Adilson, Fábio Luciano e Kléber; Vampeta, Rincón, Ricardinho e Marcelinho; Edilson e Luizão. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Matéria relacionada da CNN: [2]

Matéria página oficial da FIFA : [3]

O Corinthians começou mal o ano de 2001, e ocupava a última colocação do Campeonato Paulista. Mas, após a volta de Vanderlei Luxemburgo, se reabilitou chegando a segunda fase do campeonato.

Na semifinal contra o Santos, o gol da classificação saiu aos 48 minutos do segundo tempo através de Ricardinho. Com o placar de 2 a 1 o Corinthians foi novamente a uma final do Paulista. Na final pegou a surpresa do interior, o Botafogo de Ribeirão Preto. Depois de uma vitória por 3 a 0 em Ribeirão Preto e um empate sem gols no Morumbi, o Sport Club Corinthians Paulista alcança o 24º título dessa competição.

Em 2002, comandada por Carlos Alberto Parreira (Campeão da Copa do Mundo FIFA de 1994 disputada nos EUA comandando a seleção brasileira e que comandará novamente a seleção na Copa do Mundo FIFA de 2006 disputada na Alemanha ) a equipe ganhou o Torneio Rio-São Paulo, ganhando do São Paulo FC.

A equipe também conquistou mais uma Copa do Brasil em 2002 na mesma semana, apenas três dias depois de ter conquistado o Torneio Rio-São Paulo, derrotando o Brasiliense. Curiosamente, o Corinthians eliminou o São Paulo duas vezes, uma nas semifinais da Copa do Brasil e a outra vencendo a final no Torneio Rio-São Paulo

Ainda nesse mesmo ano, chega às finais do Campeonato Brasileiro caindo ante o Santos FC.

Em 2003 conquista o seu 25º Campeonato Paulista, após derrotar novamente o São Paulo nas finais, com duas vitórias por 3 a 2. Mas o resto do ano não guardou nenhuma outra glória. o time termina na modesta 11ª posição do Brasileiro.

O início do ano de 2004 começou com uma campanha fraca no Campeonato Paulista, salvando-se do rebaixamento apenas na última rodada. No Campeonato Brasileiro a campanha continua ruim, o time havia caído nas quartas-de-final da Copa do Brasil diante do Vitória. Porém, alguns jogos depois, a diretoria contrataria o técnico Tite. Com o seu comando a equipe reage no campeonato, sai da zona de rebaixamento e vai subindo no campeonato até terminar na quinta colocação.

2005 - atualidade

No final de 2004, o clube assinou uma parceria com o grupo de investimentos MSI (Media Sports Investment), liderado pelo iraniano Kia Joorabchian. A MSI comprometeu-se a cuidar do departamento de futebol profissional do clube, pagando salários, dívidas e possíveis prejuízos. Em parceria com a MSI o clube contrata jogadores de renome, com destaque ao argentino Carlos Tevez, que instantaneamente torna-se ídolo, sendo considerado o melhor jogador do Campeonato Brasileiro de 2005, pela Revista Placar e CBF. Os outros jogadores trazidos pela parceria foram o volante argentino Javier Mascherano do River Plate, o atacante Nilmar do Lyon, os meias Roger, do Benfica, e Carlos Alberto, do Porto, o volante Marcelo Mattos, do São Caetano, o lateral Gustavo Nery do Werder Bremen, o zagueiro argentino Sebá Domínguez do Newell's Old Boys e os zagueiros Wescley (ex-Maccabi Haifa) e Marinho do Atlético Paranaense.

O início de ano da equipe foi conturbado, com a eliminação precoce da Copa do Brasil diante do Figueirense e a má campanha no Campeonato Paulista. Uma reação nas últimas rodadas do estadual fez com que o time terminasse a competição com o vice-campeonato.

Mas o destino reservara uma conquista, o Tetracampeonato Campeonato Brasileiro.

O Corinthians assinala 87 gols na competição de pontos corridos, conquista 24 vitórias, com destaque para o clássico Corinthians 7 a 1 Santos no dia 6 de novembro de 2005.

Carlitos Tevez foi o grande jogador Corinthiano da conquista do tetracampeonato, o jogador marcou 20 gols na competição e depois seria eleito o melhor jogador do campeonato.

O ínicio no Campeonato Brasileiro não foi dos melhores e o time chegou a ficar nas últimas posições, mas a partir da quarta rodada o time consegue uma estrondosa recuperação e uma série de 5 vitórias seguidas, o suficiente pra apontar o time de Parque São Jorge como favorito a conquista do título.

O Corinthians vence o primeiro turno do campeonato mas depois chega a perder a liderança temporariamente, pois seria facilmente recuperada, o time venceu dois clássicos importantes para confirmar a posição da equipe rumo ao título, venceu o Flamengo por 4 a 2 e o arqui-rival Palmeiras por 3 a 1.

O Corinthians foi o time que paulista que mais venceu fora de casa no campeonato.

A decisão do título foi deixada para a última rodada e a classificação para a Libertadores da Ámerica já estava garantida, e no dia 4 de dezembro de 2005, a torcida acompanhou o time até Goiânia para vê-lo jogar contra o Goiás, viajando quilômetros para ver o Corinthians conquistar o quarto título nacional de sua história.

O time base da conquista do Tetra foi:
Fabio Costa, Eduardo(Coelho), Marinho, Betão e Gustavo Nery, Marcelo Mattos, Bruno Octávio, Rosinei, Roger(Carlos Alberto), Tevez e Nilmar(Jô). Técnico: Antônio Lopes (Márcio Bittencourt).

O Corinthians teve três técnicos na competição: o primeiro foi o argentino Daniel Passarella, que foi demitido três jogos depois do início da competição; o segundo foi Márcio Bittencourt, volante da equipe campeã Brasileira de 1990. O técnico levou o time a liderança, mas sempre criticado pela torcida e pela imprensa acabou demitido no meio do percurso, o time trouxe o experiente Antônio Lopes para seu lugar.

Em 2006, o objetivo maior do Corinthians era a conquista inédita da tão almejada Copa Libertadores da América. De contratações, o Corinthians trouxe de volta o meia Ricardinho, depois de três anos longe do clube que ganhou sete títulos em sua primeira passagem pelo clube. Trouxe também o atacante Rafael Moura do Paysandu, o goleiro da seleção chilena Johnny Herrera, vindo da Universidad de Chile, o volante Xavier do Vitória, o lateral Rubens Júnior, o meia-volante Renato do Atlético-MG, o goleiro Silvio Luiz do AD São Caetano e trouxe de volta Marcelinho Carioca.

O treinador Antônio Lopes pediu demissão em março, devido a maus resultados. Interinamente, o assistente Ademar Braga assumiu o comando da equipe, mas foi efetivado após algumas vitorias. Na Libertadores o Corinthians se classificou como primeiro em seu grupo e pegou o River Plate da Argentina nas oitavas-de-final. No jogo de ida em Buenos Aires os donos da casa ganharam por 3 a 2. Na partida de volta, no Pacaembu, o Corinthians ficava com a vaga no primeiro tempo com a vitória por 1 a 0. Mas no segundo tempo levou três gols, ficando fora da competição.

O time se concentrou, então, no Campeonato Brasileiro em busca do Pentacampeonato e na Copa Sul-Americana. Ademar Braga foi substituído em 14 de maio de 2006 por Geninho, que iniciou sua segunda passagem pelo clube. Porém uma série inédita de derrotas consecutivas, que deixou o time na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro de 2006, fez com que o mesmo fosse demitido em 12 de agosto. Após muitas especulações, o ex-goleiro e atual treinador Emerson Leão assume o time em 14 de agosto buscando a reabilitação no campeonato. No final de agosto, os ídolos Carlos Tevez e Mascherano entraram em colisão com o clube e abandonaram o time, sendo, posteriormente, negociados com o time do West Ham. Também deixaram o time os meias Ricardinho e Marcelinho, e são contratados: Magrão, que estava jogando no Japão; Amoroso e César, que jogavam na Ítalia.

Dados


Partidas consagradas

Maiores goleadas aplicadas pelo Corinthians

Elenco atual

Atualizado em 8 de maio de 2008

Legenda:

* Atual capitão.
** Sem bandeira.

Goleiros
1 Flag of Brazil Felipe
12Flag of Brazil Weverton
22Flag of Brazil Júlio César
Zagueiros
2Flag of Brazil Fábio Ferreira
3Flag of Brazil Chicão
4Flag of Brazil William *
14 ** Cristian Suárez
16Flag of Brazil Valença
30Flag of Brazil Carlão
Laterais
5Flag of Brazil Alessandro (LD)
33Flag of Brazil Caju (LD)
6Flag of Brazil Éverton Ribeiro (LE)
27Flag of Brazil André Santos (LE)
?Flag of Brazil Wellington Saci (LE)
Volantes
8Flag of Brazil Perdigão
13Flag of Brazil Marcelo Oliveira
20Flag of Brazil Carlos Alberto
21Flag of Brazil Bruno Octávio
28Flag of Brazil Nilton
32Flag of Brazil Fabinho
55Flag of Brazil Bóvio
Meio-campistas
10Flag of Brazil Douglas
11Flag of Brazil Marcel
15Flag of Brazil Diogo Rincon
19Flag of Brazil Lulinha
23Flag of Brazil Dinelson
26Flag of Brazil Rafinha
29Flag of Brazil Eduardo Ramos
Atacantes
9Flag of Brazil Finazzi
17 ** Herrera
18 Flag of Brazil Lima
25 ** Beto Acosta
31 Flag of Brazil Dentinho
Técnico
Flag of Brazil Mano Menezes


Fonte: http://www.corinthians.com.br/2008/futebol/elenco.asp Página oficial do clube.

Estádios

Lenheiro

O primeiro campo do Corinthians ficava no bairro do Bom Retiro, onde o clube foi fundado, em 1910. Mais precisamente na antiga Rua dos Imigrantes, atual Rua José Paulino. Não era, na verdade, um estádio, mas um terreno baldio que pertencia a um vendedor de lenha (daí o apelido de "Campo do Lenheiro") . Suas condições precárias exigiam que os próprios jogadores o limpassem e aplainassem.

Bom Retiro

Em janeiro de 1918, o Corinthians inaugurou seu primeiro estádio digno desse nome, na Ponte Grande, atual Ponte das Bandeiras, às margens do Rio Tietê. O terreno foi arrendado da prefeitura por influência do intelectual Antônio Alcântara Machado, um dos primeiros a se aproximar do clube dos operários. Ficava ao lado do Campo da Floresta, da AA das Palmeiras (o maior da cidade até então) e fora construído pelos próprios jogadores e torcedores, em sistema de mutirão. O Timão permaneceu mandando seus jogos ali por nove anos.

Alfredo Schürig

O Estádio Alfredo Schürig, mais conhecido como Parque São Jorge, tem capacidade para 18 mil pessoas. Está localizado dentro do Parque de mesmo nome, no Tatuapé, bairro nobre da região leste da cidade de São Paulo. O estádio foi construído com a ajuda financeira dos sócios do clube e leva o nome de um ex-presidente do clube que, com a quantia de 28 mil contos de réis, comprou o terreno em 1928.

Hoje o estádio é usado para treinos do time profissional e partidas das categorias de base.

Pacaembu

Predefinição:PrincipalDevido ao tamanho reduzido do Parque São Jorge, o Corinthians costuma mandar seus jogos no Estádio do Pacaembu, de propriedade do município de São Paulo. Por sempre utilizar o Pacaembú, é um dos times que mais jogou no local.

Títulos

Internacionais

Nacionais

Regionais e estaduais

1988, 1995, 1997, 1999, 2001 e 2003)

Juniores

Hino oficial

Este é o hino oficial do Corinthians, idealizado entre 1951 e 1952 e caiu no gosto da torcida desbancando o desconhecido primeiro hino, batizado inicialmente de 'Campeão dos campeões' feito pelo radialista Lauro D'Ávila.

Letra e música de Lauro D'Ávila

Salve o Corinthians
O campeão dos campeões
Eternamente
Dentro dos nossos corações

Salve o Corinthians
De tradições e glórias mil
Tu és orgulho
Dos desportistas do Brasil

Teu passado é uma bandeira
Teu presente, uma lição
Figuras entre os primeiros
Do nosso esporte bretão

Corinthians grande
Sempre altaneiro
És do Brasil
O clube mais brasileiro

Primeiro hino do Corinthians

O Corinthians teve seu primeiro hino já nos anos trinta, mas que foi pouco conhecido. Era de autoria de Guarani e Pirajá e foi substituído pelo hino atual.

Curiosidades

  • O primeiro título do clube não veio do futebol, e sim do pedestrianismo. Batista Boni, João Collina e André Lepre venceram o troféu Unione Viaggiatori Italiani numa corrida de dez quilômetros no Palestra Itália
  • foi o jogador mais jovem a entrar em campo. Foi na partida Corinthians 1 a 0 Guarani, em 19 de julho de 2003. À época tinha 16 anos, 3 meses e 26 dias.
  • O primeiro gol do clube foi marcado pelo italiano Luigi Salvatore Fabbi, em 14 de setembro de 1910 na partida Corinthians 2 a 0 Estrela Polar
  • A primeira bola utilizada pelo clube custou seis mil réis. Ela foi comprada pelo tesoureiro João da Silva numa loja da rua São Caetano, em São Paulo.
  • A primeira partida internacional do Timão foi contra o Torino, em 1914. Os italianos venceram por 3 a 0.
  • O número de torcedores do clube é superior ao dobro da população de Portugal.
  • O jogador que mais defendeu a camisa do Corinthians foi o lateral Wladimir, jogando 803 partidas.
  • Foi fundado no mesmo dia que o Esporte Clube Noroeste, de Bauru.

Torcedores famosos

Bibliografia

O Corinthians, sendo um dos maiores clubes brasileiros, é tema de grande números de obras literárias e de investigação, seja sobre sua história, suas conquistas, seus personagens e ídolos marcantes. Abaixo a lista das publicações mais importantes.

  • CITADINI, Roque - Neco, o primeiro ídolo. Editora Geração
  • DIAFERIA, Lourenço - Grandes clubes do futebol brasileiro e seus ídolos. Coração corintiano. Fundação Nestlé de Cultura.
  • EDMAR, J. - Corinthians, uma paixão em prosa e verso, edição de autor.
  • GOLDIM, Nailson - Corinthians, paixão do povo, Editora Global
  • GOZZI, Ricardo e Sócrates - Democracia corintiana, a utopia em jogo. Editora Boitempo
  • KFOURI, Juca - Corinthians, paixão e glória. Editora DBA
  • KFOURI, Juca - A emoção Corinthians. Editora Brasiliense
  • MORAIS, Carlos - Vingança do Timão, Editora Quinteto
  • NAPOLEÃO, Antônio Carlos - Corinthians vs. Palmeiras, uma história de rivalidade. Editora Mauad
  • OLIVETTO, Washington e BEIRÃO, Nirlando - Corinthians é preto no branco, Editora DBA
  • RAMOS, Luís Carlos - Vicente Matheus: quem sai na chuva é pra se queimar. Editora Brasil
  • UNZELTE, Celso Dario - Almanaque do Timão. Editora Abril


Os presidentes

Grandes ídolos do Corinthians

   

Recordes


 
Número de gols
  1. Cláudio - 306
  2. Baltasar - 267
  3. Teleco - 254
  4. Neco - 239
  5. Marcelinho - 206
  6. Servílio - 199
  7. Luisinho e
    Sócrates - 172
  8. Flávio - 166
  9. Paulo - 149
  10. Rivellino - 141


 
Número de partidas
  1. Wladmir - 803
  2. Luisinho - 606
  3. Ronaldo - 601
  4. Zé Maria - 595
  5. Biro-Biro - 592
  6. Claúdio - 554
  7. Vaguinho - 548
  8. Olavo - 514
  9. Idário - 475
  10. Rivellino - 471
  11. Rafael - 456

Ligações externas


Smallwikipedialogo.png This page uses content from Wikipedia. The original article was at here. The list of authors can be seen in the page history. As with Corinthians Wiki, the text of Wikipedia is available under the GNU Free Documentation License.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.